Apesar dos grandes avanços no campo científico e tecnológico nos últimos anos, o Brasil ainda se encontra deficitário neste quesito, fazendo com que o País, figure atrás de grandes gigantes tecnológicos como Estados Unidos, Alemanha e China, que investem, sobretudo, no atual momento de pandemia.

O incentivo no campo da pesquisa é de total importância para o progresso de diversos outros setores que constroem uma nação, como saúde, infraestrutura e educação.

Através desses investimentos, automaticamente são feitos progressos no desenvolvimento social, econômico e também na descoberta da cura de doenças como a do novo coronavírus.

Das 50 instituições que mais publicaram trabalhos científicos no Brasil nos últimos anos, só uma é particular. As universidades públicas lideram este ranking, sendo 36 federais e sete estaduais. Mais de 90% dos artigos publicados foram gerados em universidades públicas.

Alguns dos projetos realizados por esses estudantes é o projeto Rapha. É um projeto pioneiro que proporciona cicatrização do pé diabético. Esse tipo de projeto demanda preparação, analise, testes protocolos (que garantem a confiabilidade de todo o processo). Por isso é preciso mudar o pensamento que a ciência tem que está em segundo plano no Brasil, é preciso investir em agências de fomento à pesquisa, e principalmente em recursos às universidades, inclusive as públicas.

Diferentemente dos países ricos, que têm altos investimentos em pesquisas científicas, o Brasil tem baixo investimento por parte dos governos federal e estaduais prejudicando o desempenho científico do país. O que é um obstáculo para o crescimento da produtividade da economia e do conhecimento científico.

Em 2017, o brasil investiu 1,26% do PIB em pesquisa de indicadores nacionais de ciência, tecnologia e inovação. Essa falta de recursos para a pesquisa cientifica brasileira, faz com que os pesquisadores tenham baixos salários, dificuldade para conseguir financiamentos e consequentemente não conseguem se dedicarem integralmente à pesquisa.

Os projetos desenvolvidos por estudantes são de extrema importância para a sociedade, apesar das muitas dificuldades enfrentadas por eles, como infraestrutura precária, e algumas vezes incapaz de competir com tecnologia de outros países que investem na ciência, os brasileiros têm promovido importantes avanços no combate ao coronavírus.

Por: Eduardo Costa, Fernando Alves, Jhose Silva, Letícia Cintra, Marcos Rodrigues.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: