Vida Digital: A Saturação do on Demand e a ascenção do streaming ao vivo

Em primeiro lugar: o que é streaming?

Você sabe, o Spotify é um serviço de streaming, assim como o Netflix. Mas, você já parou de pensar sobre o que é essa “tecnologia de streaming”? É basicamente o nome de “transmissão de dados na Internet para enviar informação multimídia do servidor ao cliente”.

Talvez você esteja pensando: “Streaming é todo o conteúdo multimídia que eu posso assistir ou ouvir, em vez de baixar todo o conteúdo de uma vez, mas ser capaz de fazer upload de arquivos enquanto já assisto! Então, tudo que eu consumo é vídeo online ou streaming de música? ? Se sim, qual é a diferença?” Se você está pensando, você está certo! Netflix, YouTube, Spotify, Sky on Demand, Net Now … todos esses são streaming de conteúdo – mesmo que não seja pela internet tradicional, estamos falando sobre o mesmo conceito.

O fato é que todos os vídeos “on-demand” (demanda, em português) são transmitidos. Mas nem todo o conteúdo de mídia de streaming é enviado sob demanda, porque há também o conteúdo em “live streaming” tempo real.

Nos últimos anos, esses conceitos têm sido um tanto confusos. Parte da razão para isso é que as operadoras de TV paga começaram a fornecer conteúdo para os consumidores assistirem quando precisassem, e sempre estiveram “on-demand, ou sob demanda”, sem dizer que isso também está relacionado ao streaming.

Devido essa escassez de liberdade na escolha de conteúdos que a programação fixa ofertava aos telespectadores, a chegada do on Demand foi muito bem vista por quem desejava ter acesso a uma diversidade de conteúdos disponíveis a qualquer dia e a qualquer hora. Plataformas como Netflix e Amazon Prime por exemplo estão entre as mais conhecidas. Porém diante da pandemia, os decretos que determinaram quarentena em várias partes do mundo, privaram as pessoas de acesso a shows, teatros, eventos culturais, e até mesmo das salas de aula. Foi aí que o streaming ao vivo ganhou forças e conquistou sua parcela de mercado com louvor.

Patrocinados por marcas famosas, artistas faturaram milhões em shows transmitidos das suas próprias residências, ganharam espaço também as transmissões de jogos de futebol, basquete entre outros. Até mesmo as salas de aula migraram para o ambiente de transmissão ao vivo. Esses acontecimentos comprovam a capacidade de reinvenção, de formas de sobreviver com qualidade de vida, em meio ao caos que tem sido a pandemia no ano de 2020.

No nosso novo episódio do FocaCast – Vida digital, falamos sobre como deixamos de ser reféns dos conteúdos dos grandes grupos de mídias e como não tínhamos escolha de escolher o que assistir. O que hoje em dia é bem diferente, várias plataformas OnDemand nos permite assistir onde e quando quisermos e devido a pandemia o Streaming ao vivo decolou no ano de 2020, conseguimos interagir em tempo real com o que estamos consumindo. Isso não é ótimo? Vem com a gente no FocaCast e não esqueça de dar seu feedback, divirta-se!

Vida digital é o assunto abordado no vídeo sobre como nós deixamos de ser reféns dos conteúdos de mídia. Atualmente é bem diferente, pois vivemos em uma era com várias plataformas de Streaming como o “Ao vivo e o  OnDemand “ . E assim iremos mostrar a vocês a diferença entre cada um, e como esses streaming se adaptaram ao ano de 2020 devido a crise da pandemia.

Por: Aline Raspante de Souza, Gabriel Pereira de Souza, Kátia Mayara da Silva Mendes, Rodrigo Pires Fontana, Priscila Rodrigues Dantas de Brito e Thaís Lima de Carvalho

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: