A vez delas: mulheres são maioria entre gamers brasileiros

Pesquisa nacional mostra que o público feminino cresceu significativamente no universo dos jogos eletrônicos nos últimos três anos

DESTAQUE
Bruna Balbino, apresentadora e streamer, na Campus Party Brasília 2018 (Foto: Reprodução)

Por David Jordan e Marcos Felipe

“Meninos vestem azul e meninas vestem rosa”. Premissas como esta, que ditam o que pertence a cada gênero, têm sido desmistificadas constantemente em diversos âmbitos. Em época de desconstrução sobre ideias retrógradas, as pessoas têm buscado aproximação com aquilo que se identificam. E no mundo dos esportes eletrônicos (eSports) não é diferente.

Ainda que o universo dos jogos eletrônicos seja, a princípio, majoritariamente masculino, os dados da Pesquisa Game Brasil (PGB) mostram que desde 2016 as mulheres são maioria entre os jogadores brasileiros.

O dado mais recente (2018) aponta que 75,5% dos brasileiros jogam, independente da plataforma – smartphone, tablet, notebook, computador ou consoles – , jogos eletrônicos. Contudo, sobre a porcentagem, a mesma pesquisa revela que as mulheres representam 58,9%. Confira no gráfico os últimos quatro levantamentos:

GRÁFICO

NA CAPITAL

Embora sem um dado específico, Brasília (DF) tem atraído e movimentado a comunidade gamer nos últimos anos em eventos como a GameCon, o Video Game Show e a Dragon District Games Season. Outra grande concentração desse público ocorre também em um dos maiores eventos de tecnologia do país, a Campus Party Brasil.

Eventos como estes reúnem não apenas os gamers, mas, também, o público geek, cosplayers e fanáticos por tecnologia. Entre adultos, jovens e crianças, que desfrutam dos games, é notório cada vez mais a participação feminina nesses espaços que, afinal, são para todos.

JOGANDO
Eventos de eSports têm público misto entre homens e mulheres (Foto: David Jordan)

A brasiliense Luana Archanjo, 20, foi introduzida aos jogos eletrônicos quando tinha quase 10 anos. Entre os seus jogos favoritos estão o Counter Strike, Battlefield, Call of Duty e alguns RPG’s. Além da prática, que funciona como um passatempo, para ela os games são um lugar onde ela encontra estabilidade. “Nos jogos eu encontro a maior parte do meu entretenimento. E por muito tempo foram o meu escape da depressão. É onde eu me sinto melhor”, assegura a gamer.

O universo virtual dos games propicia também, além do entretenimento, uma experiência diferente e única na interação com o mundo online, fazendo, até, novos amigos. A Larissa Bessa, 23, que teve influência dos pais no contato com os videogames, possui uma rede de amigos locais e até de outros estados. “Conheci muitas pessoas online e fiz amigos que levo pra vida toda. Alguns, inclusive, já encontrei pessoalmente. A satisfação é imensa”, afirma a jovem.

Ainda sobre a ascensão das mulheres como participantes ativas no games, Larissa defende que o feminismo seja, talvez, o maior propulsor para a inclusão das mulheres em espaços que por muito tempo foi ocupado apenas por homens. “O feminismo está mais forte em todos os âmbitos. Hoje, existem campeonatos exclusivos para mulheres com participação de várias equipes”, comemora.

Fica claro que a expressão “mulheres não sabem jogar” é, definitivamente, coisa do passado. A competência delas tem concretizado a cada dia novas possibilidades nos eSports, seja por divertimento ou profissionalmente. Para Alyriana Guedes, 22, as mulheres precisam provar para si mesmas, e não para outrem, que são talentosas. “ Joguem, mas joguem mesmo, com vontade. Não devemos nos preocupar com o que vão pensar sobre nós. Jogos são para todos, sem exceções”, conclui.

E-SPORTS

Os eSports são uma modalidade de competição profissional de videogames. O fenômeno mundial têm tomado as telas de milhões de brasileiros. Os torneios profissionais são transmitidos ao vivo pela internet, ocorrem em arenas com milhares de pessoas e contam com narradores oficiais. Segundo a última pesquisa da Newzoo, 7,6 milhões de pessoas assistem a esses torneios. O Brasil é o terceiro maior espectador, fica atrás apenas da China e Estados Unidos.

GAMERS
Jogadores competem em torneio da Dragon District Game Season no Brasília Shopping (Foto: David Jordan)

PRÓXIMOS EVENTOS

Os brasilienses podem contar, pelo menos até o primeiro semestre, com dois grandes eventos. O primeiro é o Video Game Show, que ocorre entre os dias 20 e 22 de abril no Taguatinga Shopping. Já o segundo, é a terceira edição da Campus Party em Brasília, que acontece entre os dias 19 e 23 de junho.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s