Depressão e o impacto na vida dos universitários

O desafio da vida acadêmica e a busca por sucesso profissional levam muitos estudantes a desenvolverem depressão ao decorrer dos cursos. Segundo estudo feito em 2017, por Maria José Carvalho Nogueira da Universidade de Lisboa, 15% a 20% dos universitários sofrem de algum tipo de perturbação ou transtorno mental no decorrer de sua formação académica. A pesquisa foi feita a partir de artigos internacionais que analisam a rotina de alunos do ensino superior.

A Organização Mundial de Saúde (OMS), enquadra a depressão como um transtorno mental. Muitos acabam confundindo a doença com a ansiedade. Estima-se que 300 milhões de pessoas sofram com depressão no mundo inteiro, segundo a matéria da OMS, de março de 2018. Ainda de acordo com a organização, mais de 5% da população brasileira sofre com o transtorno.

De acordo com relatório publicado em 2011 pelo Fórum Nacional dos Pró-reitores de Assuntos Estudantis (FONAPRACE), 47,7% dos 19.691 alunos universitários que responderam à pesquisa relataram já ter vivido uma crise emocional. Confira alguns fatores:

Dados sobre depressão

Segundo a psicóloga e voluntária do Centro de valorização à Vida (CVV) Bianca Dias, o ambiente acadêmico pode ser fonte de estresse para muitos universitários, seja pela relativa falta de suporte, professores, recursos financeiros, jornada de trabalho exagerada, entre outros.

Em conversa com nossa equipe a estudante de jornalismo, Ana Cecília, 30 anos, conta sua experiência com a depressão no ambiente universitário e ressalta a importância do apoio por parte das instituições de ensino.

 

 

Uma luz no fim do túnel

Algumas instituições, já se atentam pelas taxas de depressão acadêmicas e estão desenvolvendo programas de variada abrangência visando a melhora da qualidade de vida de seus alunos. Em Brasília, já são várias as instituições que contam com departamentos de psicologia à disposição dos alunos.

Dentre as instituições que possuem esse tipo de apoio, destacam-se:

A Universidade Católica de Brasília que conta com o Serviço de Orientação Psicopedagógico (SOAPPE). O serviço é voltado para a comunidade interna da universidade e conta, além de outros, com atendimento psicológico, de segunda a quinta-feira das 8h às 22h e na sexta-feira das 8h às 21h.

Contato do SOAPPE: (61) 3356-9323

O Uniceub que conta com o Centro de Formação de Psicólogos (Cenfor). O serviço é voltado para a comunidade, com atendimento psicológico, de segunda a sexta-feira das 8h às 18h.

Contato do CENFOR: (61) 3356-9323

E a Universidade de Brasília (UnB), que implementou a matéria “Felicidade” no curso de Engenharia em 2018 como um projeto piloto da Universidade. A aula busca melhorar a qualidade de vida no ambiente acadêmico, segundo o professor responsável pela aula, Wander Pereira. Confira o vídeo:

 

Uma outra dica de atendimento para pessoas que desejam conversar fora do ambiente acadêmico, é o CVV – Centro de Valorização da Vida que realiza atendimento voluntário para todas as pessoas que queiram e precisem conversar, a ligação tem total sigilo e o atendimento é 24 horas através do número 188.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s